Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de 2009

Redução de carne e incentivo de bicicletas ajudam clima e saúde, diz revista "Lancet"

da France Presse, em Paris A redução de 30% da produção e do consumo de carne entre os principais produtores, associada a avanços tecnológicos, pode reduzir sensivelmente as emissões e o número de doenças cardíacas, mostra estudo na revista científica britânica "The Lancet". Ela contextualiza, dizendo que a agricultura e a alimentação representam de 10% a 12% das emissões mundiais de gases causadores do efeito estufa. O estudo faz parte de uma série publicada na "The Lancet" em função da aproximação da Cúpula de Copenhague, que acontece entre 7 e 18 de dezembro. A iniciativa antecipa os benefícios para a saúde e clima de ações que podem ser adotadas para reduzir as emissões de gases do efeito estufa. CiclistasA revista mostra também que preparar as cidades para pedestres e ciclistas pode ajudar mais a reduzir o impacto para a saúde do que incentivar a fabricação de carros menos poluentes. A reformulação dos transportes nas cidades de Londres e Nova Déli mostrou que…

Leucocitose digestiva

Que palavrão, não? Pois é... mas é mais simples do que parece - vejamos...
Em todos os processos inflamatórios, especialmente nas enfermidades infecciosas, ocorre um aumento de glóbulos brancos no sangue - leucocitose - considerando-se esse fenômeno em tais casos como uma reação defensiva do corpo aos "invasores".
Quando se prepara uma refeição comum, composta, por exemplo, de arroz, feijão, carne, batatas e legumes cozidos, ou também um café da manhã constituído por uma xícara de café com leite ou de chocolate, pão com manteiga ou geléia, aumenta o número de leucócitos (glóbulos brancos) no sangue, passando, num prazo de dez minutos dos 6000-8000 normais por milímetro cúbico para 10000, e num prazo de 30 minutos para 30000, voltando no fim de 90 minutos ao normal. Este fenômeno é conhecido desde há quase um século e qualifica-se como leucocitose digestiva.
Entretanto, o pesquisador Kuschakoff observou, em 1930, que a ingestão de vegetais e frutos crus não levava …

O Açafrão é eficaz em casos de ansiedade e depressão

O Açafrão é eficaz para tratar a ansiedade e a depressão porque minimiza as alterações bruscas de humor que levam da tristeza à euforia, a irritabilidade, a perda de entusiasmo e apetite, agitação, melancolia e distúrbios do sono.Assim o afirma um estudo realizado por cientistas da Universidade de Ciências Médicas de Teherán (Irão) que foi recentemente publicado na Progresso em Neuropsicofarmacología & Psiquiatria Biológica.Compararam a sua eficácia com a fluoxetina – principio activo do Prozac - e com a imipramina – antidepressivo tricíclico inibidor da recaptação de noradrenalina e serotonina presente em muitos fármacos -.Assim que Irão - primeiro produtor mundial de açafrão sendo o segundo Espanha – dispõe-se a comercializá-lo como nutracêutico para tratar a ansiedade e a depressão. Eficaz e sem efeitos secundários.Fonte: Discovery Dsalud nº 114

Os benefícios da Semente de Linhaça

É considerada como um alimento funcional, ou seja, que contém, além dos seus nutrientes básicos (carbohidratos, proteínas, gorduras e fibras), elementos que podem diminuir o risco de algumas doenças pois o seu uso contínuo pode proporcionar aumento da defesa orgânica e redução do ritmo de envelhecimento celular. 
Na composição da semente de linhaça estão presentes proteínas, fibras alimentares e ácidos gordos poliinsaturados (Ômega 3 e Ômega 6), que lhe conferem a propriedade de alimento funcional. A semente de linhaça é a mais rica fonte de Ômega 3 existente na natureza. 
Os investigadores do INSTITUTO CIENTÍFICO PARA ESTADO DA LINHAÇA DO CANADÁ e dos Estados Unidos, têm enfocado a sua atenção no rol desta semente na prevenção e cura de numerosas doenças degenerativas.
Muitos estudos estão a ser desenvolvidos para confirmar os benefícios do consumo regular da semente de linhaça. Alguns desses estudos afirmam que a linhaça poderia ajudar a baixar os níveis de colesterol, pois é …

"Em 2050, seremos todos vegetarianos" Paul Roberts

Comer menos carne é o único meio de alimentar 10 bilhões de humanos, diz o autor de "O Fim da Comida" Peter Moon
No Ensaio Sobre O Princípio Da População, publicado em 1798, o inglês Thomas Malthus fez uma afirmação alarmante. Como a população humana crescia em progressão geométrica e a produção de alimentos em progressão aritmética, no longo prazo o saldo desse descompasso seriam a fome e o aumento da mortalidade, ajustando o tamanho da população à oferta de alimento. Em 1800, havia 1 bilhão de humanos. Hoje, somos 6,6 bilhões. A produção agrícola superou a explosão populacional. Malthus estava errado? Para o jornalista americano Paul Roberts, de 54 anos, talvez não. A hora de Malthus pode ter chegado. Em The End of Food (O Fim da Comida, editora Houghton Mifflin), Roberts prevê que, até 2050, a demanda por comida ultrapassará a oferta. Um primeiro alerta seria a actual explosão do preço dos alimentos.
ENTREVISTA - PAUL ROBERTS
QUEM É
Jornalista especi…

Carnes e Patologias

CARNE E OBESIDADESegundo uma pesquisa da Unicamp, reportada pela Agência Estado, um tipo de gordura encontrada principalmente em carnes vermelhas pode ser uma das causas da obesidade. Segundo o pesquisador Lício Velloso, o estudo pode explicar a dificuldade do obeso em controlar a fome ou perder peso.
Os experimentos realizados em ratos mostraram que as moléculas da gordura accionam uma inflamação no cérebro que resulta na destruição dos neurónios que controlam o apetite e a queima de calorias. mais informações http://blogs.abril.com.br/dieta-nunca-mais/2009/02/gordura-presente-na-carne-vermelha-pode-causar-obesidade.htmlCARNE E CANCERSegundo o cirurgião oncológico Benedito Mauro Rossi, do Hospital A.C. Camargo, a relação entre consumo de carne e câncer está muito estabelecida, inclusive no Brasil. A distribuição geográfica do câncer do intestino, por exemplo, mostra que no Amapá, a incidência do tumor é de 1,51 caso por 100 mil habitantes, enquanto no Rio Grande do Sul, a terra do …

Benefícios da goma-guar

A goma-guar, quando ingerida, espanta a fome. Por ser rica em fibras, acredita-se que ajude a conter o colesterol, o diabetes e a obesidade. É um espessante comum em alimentos industrializados e em cosméticos e medicamentos.Mas não param aí as propriedades dessa substância obtida da semente de uma planta originária da Índia e Paquistão, a Cyamopsis tetragonolobus, que parece ter mil e uma utilidades.Prevenção da artroseEm experimentos realizados com ratos, uma equipe da Universidade Federal do Ceará (UFC) verificou que um dos componentes da goma-guar, um açúcar conhecido como galactose, pode reduzir a dor e conter a perda da cartilagem nas articulações e reconstituir ao menos parte dos movimentos perdidos com a artrose, uma doença que acompanha o envelhecimento e tende a deformar e imobilizar principalmente mãos, quadris, joelhos e pés.AnestésicoFrancisco Airton Castro da Rocha, professor do Departamento de Medicina Clínica, e Judith Pessoa de Andrade Feitosa, de Química Orgânica e I…

As pessoas que sofrem da Doença de Crohn têm défice de uma bactéria: Faecalibacterium prausnitzii

A chamada Doença de Crohn parece estar relacionada com o deficit de uma bactéria - a Faecalibacterium prausnitzii, do grupo Clostridium leptum- segundo uma investigação coordenada por Philippe Langella, membro da Unidade de Ecologia e Fisiologia do Sistema Digestivo do Instituto de Investigações Agrónomas Domaine de Vilvert em Jout-en-Josas (Franca) cujo trabalho foi publicado recentemente Proceedings of the National Academy of Sciences. Parece que a bactéria – um bacilo anaeróbio – secreta, algumas substâncias anti-inflamatórias e essa poderia ser a causa da sua acção positiva. Além disso, uma nova investigação veio confirmar algo que muitos médicos seguem sem entender: a importância da alimentação na prevenção e tratamento da maior parte das chamadas enfermidades. Noutras palavras, a importância do equilíbrio do nosso organismo.

Associação Dietética Americana passa a indicar a dieta vegetariana na prevenção de doenças

Publicada em 06/07/2009 às 14h27mO Globo

RIO - Seguir uma dieta vegetariana pode ser uma boa maneira de diminuir o risco de doenças crónicas como diabetes, obesidade, hipertensão e cancro, afirma a Associação Dietética Americana (ADA), que publicou esta semana uma actualização das suas recomendações sobre alimentação saudável no "Journal of the American Dietetic Association". Segundo os nutricionistas da ADA, não há dúvidas de que uma dieta vegetariana bem planejada é uma opção saudável para crianças, adolescentes e adultos. "As dietas vegetarianas são eficazes em todas as fases da vida, incluindo na gravidez, na lactação, na primeira infância, na adolescência e para atletas" "A Associação Dietética Americana reconhece que uma dieta vegetariana bem planejada, incluindo o vegetarianismo completo (que exclui todo tipo de carne e ovos) e o veganismo (que exclui carnes, ovos e laticínios), pode ser saudável, nutricionalmente completa e traz benefícios na prevenção e…

OSTEOPOROSE

Fantasma predileto de quem defende a adição de hormonas na menopausa,
a osteoporose tem sido enquadrada como doença - mas não é… Faz parte do envelhecimento. É uma condição, um estado dos ossos, que com a idade avançada podem ir descalcificando e tornar-se porosos, frágeis e quebradiços, especialmente na coluna vertebral, nas costelas e na bacia. Afecta 25% das mulheres ocidentais com mais de 60 anos e apenas 8% dos homens. O nosso esqueleto está sempre a ser remodelado pela perda de 300 a 700 mg de cálcio por dia. Repor esse cálcio através da alimentação ou de suplementos é fácil,
fazer os ossos assimilarem é que são elas. A assimilação depende de vários factores, entre eles sol, vitamina D, exercícios, fósforo, magnésio e estrogénio. Por isso a situação da mulher cuja massa óssea já não é muito densa pode se tornar problemática após a menopausa, já que haverá muito menos estrogénio em circulação. Mas atribuir a osteoporose exclusivamente à falta de estrogénio é muito simplis…

Reduzir carne vermelha diminui mortalidade

Pesquisa publicada no Jama acompanhou 500 mil pessoas durante dez anos
Para pesquisadores, 11% das mortes em homens e 16% em mulheres poderiam ter sido adiadas com a redução de carne vermelhaUm estudo divulgado hoje no Jama, Journal of the American Medical Association (revista da Associação Médica Americana) aponta uma relação entre o consumo de carne vermelha e carnes processadas e o maior número de mortes por cancro e problemas cardiovasculares. A pesquisa, uma das maiores já realizadas, analisou dados de 500 mil norte-americanos de 50 a 71 anos de idade.
Em dez anos de acompanhamento, morreram 47.976 homens e 23.276 mulheres. Para os pesquisadores, 11% das mortes em homens e 16% das mortes em mulheres poderiam ter sido adiadas se houvesse redução do consumo de carne vermelha para 9 g do produto a cada 1.000 calorias ingeridas - o grupo que mais ingeriu carne vermelha (68 gramas a cada 1.000 calorias) foi o que apresentou maior incidência de morte.
No caso de doenças cardi…

Árvore da azeitona é mais eficaz que o chá verde no combate aos quilinhos extras e às gordurinhas que se acumulam no abdómen

Da RedaçãoQuem quer uma ajuda extra na altura de emagrecer e gosta de usar chás tem um novo aliado na dieta. Considerado 300% mais poderoso que o chá verde, as folhas da árvore da azeitona possuem quase o quadrúplo de potássio, magnésio, manganês, fósforo, selénio, cobre e zinco.
Uma reportagem da VIVA MAIS! diz que pesquisas realizadas pela Universidade Metodista de Piracicaba mostraram que tais elementos garantem um alto poder antioxidante e estimulam o metabolismo a eliminar gordura.
Diferencial
Mais do que ajudar na eliminação dos quilos extras, o chá de oliveira age especialmente nas gorduras acumuladas na região abdominal.
Assim, ao ingerir de três a quatro chávenas por dia, a pessoa consegue, num prazo de dois a três meses, reduzir em até 10% a sua circunferência abdominal e perder, em média, seis quilos. Desde que, claro, combinando a bebida com uma alimentação saudável.
Como preparar e tomar
- Ferva um litro de água numa panela que não seja de alumínio. Ao levantar f…