Avançar para o conteúdo principal

Antioxidantes e Alergias Infantis



Investigadores de Medicina Ambiental do Sweden's Karolinska Institute confirmaram que a ingestão de antioxidantes entre as crianças reduz o risco de alergias.


Os investigadores estudaram as dietas comparando-as com a incidência de alergias entre 2,422 crianças Suecas com 8 anos de idade. Amostras de sangue foram analizadas juntamente com a dieta, reunidas por meio de questionários feitos aos pais das crianças.

Os investigadores compararam a ingestão de antioxidantes com a sensibilidade a alergias, incluindo a incidência de rinite alergica e asma.

O estudo concluiu que as crianças que consumiam elevados níveis de beta-carotenos tinham um terço a menos de incidência de rinite alérgica. Também concluíram que o elevado consumo de magnésio resultava numa incidência inferior de mais de um terço na asma.

Este não é o primeiro estudo que relaciona um baixo consumo de antioxidantes com alergias entre crianças. Num extensa revisão de pesquisas da Italy's University of Verona, os investigadores descobriram que um elevado consumo de frutas e vegetais entre grávidas e os seus filhos durante a infância estava relacionado com uma significativa baixa incidência de pieira e asma.

Concluíram que os alimentos que continham elevados níveis de vitamina C e selénio reduz o risco de pieira, e os seus níveis séricos também foram associados com chiado a menos. Os investigadores também indicaram que o défice de zinco e carotenoide (como o beta-caroteno) nas mães aumenta o risco de asma e alergias nos filhos.

Outro estudo realizado por investigadores suecos em 2009, concluiu que dar um multivitaminico a crianças até aos 4 anos reduz a incidência de alergias em cerca de 40%. Este estudo seguiu 2,423 crianças suecas, e também mediu os seus níveis de IgE específicos para alergias.

Interessantemente, no entanto, este estudo demonstrou uma relação muito pequena entre o multivitaminas usado em crianças com 8 anos com alergias já activas.

As evidências que relacionam alergias e asma a dietas nas crianças está a aumentar. É óbvio que não é a única causa, existem factores como o sistema imunitário e digestivo que também são criticos.


REFERENCIAS
  • Rosenlund H, Magnusson J, Kull I, Håkansson N, Wolk A, Pershagen G, Wickman M, Bergström A.Antioxidant intake and allergic disease in children. Clin Exp Allergy. 2012 Oct;42(10):1491-500.
  • Peroni DG, Bonomo B, Casarotto S, Boner AL, Piacentini GL. How changes in nutrition have influenced the development of allergic diseases in childhood. Ital J Pediatr. 2012 May 31;38:22.
  • Marmsjö K, Rosenlund H, Kull I, Håkansson N, Wickman M, Pershagen G, Bergström A. Use of multivitamin supplements in relation to allergic disease in 8-y-old children. Am J Clin Nutr. 2009 Dec;90(6):1693-8.u
  • Adams C. Asthma Solved Naturally: The Surprising Underlying Causes and Hundreds of Natural Strategies to Beat Asthma. Logical Books, 2011.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

O que deves saber para agilizar as constipações e a tosse nos bebés.

A cada ano, centenas de bebés e crianças sofrem de constipações e tosse, principalmente devido ao seu sistema imunitário ainda imaturo.

É muito fácil identificarmos os sintomas de constipação e tosse nas nossas crianças. Começam logo a ficar com o nariz congestionado, com muita ranhoca (corrimento nasal), febre baixa, tosse, perda de apetite, irritabilidade e dificuldade em dormir. Qual a mãe, pai ou outro educador que não reconhece o desafio que é cuidar de uma criança doente? A natureza delas é de felicidade, alegria e brincadeira...de repente sentem-se mal apresentando alguma dificuldade em compreender claramente aquilo que estão a sentir, como tal, o nosso papel é orientá-las e ajuda-las a sentirem-se o melhor possível no menor espaço de tempo.

Como sou a favor da posição da American Academy of Pediatrics a qual desaconselha dar medicamentos para a tosse e constipações a crianças menores de 6 anos devido aos potenciais efeitos colaterais desses medicamentos, opto, sempre que poss…

Bolo de Cenoura [sem açúcar e sem glúten]

Andava com vontade de comer um bolo de nozes, mas não encontrava nenhuma receita que me desse água na boca, então fui para a cozinha fazer experiências com base numa diversidade imensa de receitas que fui vendo...adaptei, adaptei...e adaptei e saiu tudo menos um bolo de nozes (rsrsrsss)...mas ficou delicioso na mesma (vá lá...uffa!!)
Ora aqui vai a receita para quem quiser aventurar-se:
Vais precisar de:
- 2 chávenas de farinha de trigo sarraceno - 3 colheres de chá de fermento - 5 colheres de chá de canela em pó - 5 cenouras raladas - 1/2 chávena de coco ralado - 1/2 chávena de nozes raladas - 300g de tâmaras trituradas - 1/2 chávena de bebida vegetal (usei de arroz e soja do aldi) - 2 colheres café de baunilha

Pré-aquece o forno a 180ºC

Mistura todos os secos/sólidos e depois vai adicionando o liquido.
Bate tudo muito bem e leva ao forno cerca de 50minutos (depende de cada forno).

Eu costumo usar formas de silicone para não ter de adicionar gordura, fica a dica.

Bom apetite!!


Questionas-te se a Vitamina D é prejudicial sem a vitamina K?

Nos últimos tempos muito se tem falado sobre o possível prejuízo que a ingestão de vitamina D pode ter na ausência da vitamina K, mas as alegações científicas ainda não são muito consistentes. Como as pessoas que recorrem à minha consulta de naturopatia sabem, eu não sou muito apologista da suplementação nutricional. Existem casos em que ela é realmente necessária, existem outros casos em que recorrer a suplementação nutricional numa fase inicial pode ajudar o paciente a recuperar mais rápido, mas na maioria dos casos, recorrendo aos alimentos, ou seja, aos nossos suplementos “in vivo” é mais do que suficiente para se obter bons resultados terapêuticos. Dito isto, já podem antever que a minha opinião acerca do consumo de vitamina K sob a forma de suplemento não é muito abonatória, mas lá está...cada caso é um caso e há que se analisar individualmente a condição clinica da pessoa que procura ajuda.
Como todos sabemos, as vitaminas D e K são vitaminas lipossolúveis, ou seja, solúveis e…