Avançar para o conteúdo principal

Sabe o que é a Leucocitose Digestiva?

Quando temos uma infecção,  o nosso corpo aumenta a quantidade de glóbulos brancos (leucocitose) para que estes nos defendam contra os “invasores”. Agora, quem diria que o mesmo processo ocorre após a ingestão de alimentos cozinhados.

Os níveis normais de leucócitos (glóbulos brancos) no sangue, são de 6.000-8.000 por milímetro cubito, ao comer um alimento cozinhado, no prazo de 10 minutos, os níveis sobem para 10.000, e após 30 minutos para 30.000, voltando ao normal ao fim de 1 hora e meia. A este processo chama-se Leucocitose digestiva, ou seja, é o aumento dos leucócitos no sangue (células de defesa) após a ingestão de alimentos cozidos/cozinhados. 

Quando cozinhamos um alimentos as suas enzimas são destruídas e as suas propriedades alteradas. Ao ingerirmos esse alimento "alterado" o corpo intrepreta-o como um agente invasor, e, por isso, prepara-se para o combate. 

Já se questionaram o porquê de necessitarmos de fazer análises em jejum?…o motivo é exactamente esse, para que, caso haja leucocitose, esta não seja causada por alimentos, mas sim o resultado de alguma infecção/inflamação.

Em 1846, Donders, um médico de renome na sua época, observou pela primeira vez um aumento do número de leucócitos no sangue depois de uma refeição cozinhada.

Esta observação foi confirmada em 1859, por Rudolf Virchow, um patologista alemão, que deu a este fenómeno o nome de “leucocitose fisiológica-digestiva”. Ele concluiu que o aumento do número de glóbulos brancos depois da refeição era um fenómeno fisiológico normal.

Entretanto, em 1930 o investigador Dr. Paul Kuschakoff observou, que a ingestão de vegetais e frutos crus não levava a um aumento dos glóbulos brancos no sangue, isto é, não se apresentava a reacção inflamatória antigamente considerada normal, se os alimentos fossem consumidos crus. 
Kuschakoff comprovou ainda que esta reacção também não se produz, quando a comida cozida se segue à crua. 
Ele observou que se pelo menos 10% dos alimentos forem consumidos crus e imediatamente ANTES dos cozidos, evita-se esta reacção inflamatória. 
Kuschakoff também observou que os alimentos processados provocam o mesmo tipo de reacção inflamatória. Isso significa que alimentos como o leite, os lacticínios, os queijos, o pão, os embutidos, o açúcar e as farinhas brancas, entre outros, devem ser evitados porque geram uma reacção negativa por parte do nosso sistema imunitário! No entanto, Kouchakoff observa que esta reacção apenas ocorre quando se ingerem alimentos cozidos ou processados, e fez a seguinte conclusão:

"Parece que se pode tirar do conjunto das nossas experiências e observações a seguinte conclusão: 
A modificação da fórmula sanguinea que se observa depois de cada refeição e que era considerado, desde Virchow e até ao presente como um fenómeno fisiológico, deve ser considerado em realidade como um fenómeno patológico. Esta leucocitose digestiva é uma prova que a comida geralmente absorvida pelo homem não pode ser normalmente assimilada e que este aumento do número de glóbulos brancos e a modificação da formula leucocitária não são outra coisa que a mobilização dos leucócitos para a defesa do organismo contra um elemento estranho. Ou seja, o regime ordinário sobrecarrega o organismo de elementos em excesso no qual ele mantém somente o que é útil e necessário; é-lhe imposto um trabalho de eliminação que usa as suas reservas biológicas e traduz-se, em particular, por um desperdício de energia."


A experiência mostra-nos que os alimentos cozinhados actuam no nosso corpo como um “invasor”, no entanto, quando comemos frutas e legumes crus esse mesmo aumento dos glóbulos brancos não acorre, ou seja, o corpo não os interpreta como invasores. 

As enzimas são os catalisadores de todas as reacções químicas do organismo. Sem elas, não há divisão celular, funcionamento do sistema imunitário, produção de energia nem actividade cerebral. 

Cozinhar a nossa comida destrói as enzimas, deixando ao organismo todo o trabalho "pós-guerra", não sendo de admirar a sensação de cansaço e sonolência que a maioria de nós sente após uma refeição cozida. 

Habituarmo-nos a substituir alimentos cozidos por crus e começar as refeições com uma grande salada ou mesmo um sumo de vegetais, é um grande passo para a saúde do sistema digestivo e imunitário!

Sabemos, claro que mudar os nossos hábitos alimentares é das tarefas mais dificeis que temos pela frente, pois as possibilidades são imensas e facilmente disponiveis, no entanto, enquado se estuda as alterações passiveis de se realizar pode sempre optar por começar a refeição com alimentos crús e depois passar aos cozidos, pois se o fizermos por essa ordem a reação imunitária não ocorre.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

As tâmaras e o trabalho de parto

Desde os tempos bíblicos, as tâmaras eram consideradas possuidoras de propriedades curativas profundas, mas só agora a ciência vem confirmar o que os nossos antepassados já sabiam.
Um estudo publicado no Journal of Obstetrics and Gynecology em 2011 e intitulado "O efeito do consumo das tâmaras no final da gravidez[i]", apresentou a investigação do efeito do consumo das tâmaras nos parâmetros do trabalho de parto e nos seus resultados. Ao longo de 11 meses na Jordan University of Science and Technology, dois grupos de mulheres foram incluídas num estudo prospectivo onde 69 mulheres consumiram seis tâmaras por dia durante 4 semanas antes da data prevista para o parto, contra 45 mulheres que não consumiram nenhuma. Estas mulheres tinham parâmetros semelhantes por isso não houve diferença significativa na idade gestacional, idade e paridade (o número de vezes que a mulher engravidou) entre os dois grupos.
Os resultados do estudo foram os seguintes:
• Melhoria da dilatação cervical:

Fibromialgia vs dieta vegetariana

São muitas as mulheres que sofrem de fibromialgia, uma condição caracterizada por meses de dor generalizada, fadiga, distúrbios do sono, depressão, ansiedade, pensamentos confusos, dores de cabeça, dor lombar entre outros sintomas. Esta condição tem um enorme impacto sobre a qualidade de vida de quem dela sofre pois impede a realização das actividades do quotidiano com a mesma leveza de quem não padece de fibromialgia. Para já a sua causa é desconhecida, não havendo de momento nenhum tratamento 100% eficaz mas existem rotinas, hábitos e comportamentos que podem ser adoptados de forma a minimizar os sintomas que tanto debilitam estas mulheres (e alguns homens).
De acordo com uma das últimas revisões sobre fibromialgia e nutrição, a dieta vegetariana pode oferecer alguns efeitos benéficos na manutenção dos sintomas. [Rheumatol Int. 2010] Em 1991, uma pesquisa foi enviada a centenas de pessoas que sofriam de várias condições de dor crónica, incluindo fibromialgia. Nesse questionário pro…

Receita: Pudim de Pêra com Canela

Quando o meu filho era mais pequeno e estava a atravessar aquela fase em que simplesmente se alimentam do ar (a anorexia dos 2 anos), eu fazia-lhe esta espécie de pudim com sementes de chia que ele comia e lambia os dedos...ou seja, um êxito! Escusado será dizer que é delicioso tanto para os pequenos como para os grandes...ahhh e nutritivo!!
- A tâmara é rica em proteínas, minerais e vitaminas principalmente a vitamina C. A grande vantagem é que além de ser uma verdadeira doçura, ela é rica em fibras, potássio, cálcio e ferro sendo excelente tanto para crianças como adultos.

- As pêras são ricas em fibras, vitamina A e C com importantes ações antioxidantes.
Também é uma excelente fonte de minerais como o fósforo, cálcio e ainda contém algum ferro.

- A canela auxilia no tratamento de diversas doenças. A canela estimula a salivação e os sucos gástricos, facilitando a digestão como tal, ajuda em casos de aerofagia, digestões difíceis a acidez estomacal.


Ingredientes

- 7 colheres de sopa de …