Avançar para o conteúdo principal

Limão e o Ácido cítrico

O limão é uma fruta cítrica, porque contém cerca de 6% de ácido cítrico no seu sumo, ou seja, em cada 100g de sumo fresco e puro de limão, temos cerca de 6g de ácido cítrico e citratos, que são os sais do ácido cítrico. Tal concentração de ácido cítrico ocorre em qualquer uma das variedades do limão.
Este teor de 6%, considerado o mais elevado de todas as frutas, diferencia-o das demais frutas cítricas, porque as laranjas e tangerinas, apesar de serem frutas cítricas, apresentam na composição dos seus sumos uma concentração média de 0,6% de ácido cítrico e citratos, ou seja, cerca de 10 vezes que o limão.


O ácido cítrico dentro do organismo humano actua como agente alcalinizante, ou seja, ajuda a alcalinizar todos os líquidos corporais, seja no sangue, na linfa ou nos líquidos intra e extra-celulares.
Essa estabilização levemente alcalina dos líquidos corporais, que é um pH entre 7,36 a 7,42 é, metabolicamente falando, a condição ideal para todos os processos orgânicos acontecerem da forma mais equilibrada e harmoniosa.


Assim, o limão tem a capacidade de reequilibrar todos os fluidos do organismo, beneficiando assim o cérebro, pulmões, rins, sistema linfático, sistema imunitário; sistema nervoso, intestinos, fígado...enfim, todos os sistemas e órgãos vitais.

A partir do momento em que ingerimos o sumo do limão, seja puro ou como complemento de outros alimentos crus ou cozidos, inicia-se um processo de facilitação de alcalinização de todos os processos metabólicos.
O ácido cítrico combina-se com sais minerais biodisponiveis, à base de cálcio, magnésio e ferro, formando os respectivos citratos salinos, que conferirão o desejado pH ideal que é levemente alcalino. Quando desejamos melhorar aspectos da nossa saúde como a anemia, a osteoporose e a vitalidade, aumentando a presença de ferro, cálcio e magnésio no nosso organismo, nada como fazer uso de alimentos ricos nesses elementos e associar o limão aos mesmos.

Existe também um conhecimento empírica de utilizar o limão como antibiótico natural. Empirismo este que já se encontra comprovado cientificamente.

Muitos podem pensar que esta propriedade se deve à Vitamina C, mas não...O sumo do limão é relativamente pobre em vitamina C quando comparado com laranjas, tangerinas, acerola, goiaba e kiwi. 

Mas, a explicação está, novamente, no seu elevado teor de ácido cítrico. Um facto real é que, na indústria alimentar, o ácido cítrico e os seus citratos, são maciçamente utilizados como conservantes naturais, ou seja, são usados para evitar o crescimento de bactérias, bacilos e fungos.
Assim, quando temos uma mucosa ferida, seja ela interna ou externa, um bom procedimento é tratar com o sumo fresco de limão. 

Enganam-se aqueles que acreditam que o limão faz mal ao estômago. Na verdade, ele é um alcalinizante de distúrbios ácidos do estômago, além de ser um cicatrizante de mucosas lesadas e um excelente bactericida natural.

Todas as pessoas que desejam ser saudáveis, principalmente gestantes, crianças, adolescentes e terceira idade, devem consumir diariamente sumos com folhas verdes (couves, hortelã, salsa, alfaces, etc.), sementes (linhaça, girassol, abóbora, sésamo, etc.) e raízes cruas (cenoura, beterraba, batata-doce), mas sempre associadas ao limão, porque, relembrando, ele:

- Alcaliniza o organismo fortalecendo o sistema imunitário;

- Ajudar na fixação dos sais minerais como os de ferro, cálcio e magnésio;

- Cicatrizar mucosas;

- Combater bactérias e demais microorganismos oportunistas.



Qualquer dúvida é só entrar em contacto comigo pelo email: consultas.terapias@gmail.com


Comentários

Mensagens populares deste blogue

Bolo de Cenoura [sem açúcar e sem glúten]

Andava com vontade de comer um bolo de nozes, mas não encontrava nenhuma receita que me desse água na boca, então fui para a cozinha fazer experiências com base numa diversidade imensa de receitas que fui vendo...adaptei, adaptei...e adaptei e saiu tudo menos um bolo de nozes (rsrsrsss)...mas ficou delicioso na mesma (vá lá...uffa!!)
Ora aqui vai a receita para quem quiser aventurar-se:
Vais precisar de:
- 2 chávenas de farinha de trigo sarraceno - 3 colheres de chá de fermento - 5 colheres de chá de canela em pó - 5 cenouras raladas - 1/2 chávena de coco ralado - 1/2 chávena de nozes raladas - 300g de tâmaras trituradas - 1/2 chávena de bebida vegetal (usei de arroz e soja do aldi) - 2 colheres café de baunilha

Pré-aquece o forno a 180ºC

Mistura todos os secos/sólidos e depois vai adicionando o liquido.
Bate tudo muito bem e leva ao forno cerca de 50minutos (depende de cada forno).

Eu costumo usar formas de silicone para não ter de adicionar gordura, fica a dica.

Bom apetite!!


Questionas-te se a Vitamina D é prejudicial sem a vitamina K?

Nos últimos tempos muito se tem falado sobre o possível prejuízo que a ingestão de vitamina D pode ter na ausência da vitamina K, mas as alegações científicas ainda não são muito consistentes. Como as pessoas que recorrem à minha consulta de naturopatia sabem, eu não sou muito apologista da suplementação nutricional. Existem casos em que ela é realmente necessária, existem outros casos em que recorrer a suplementação nutricional numa fase inicial pode ajudar o paciente a recuperar mais rápido, mas na maioria dos casos, recorrendo aos alimentos, ou seja, aos nossos suplementos “in vivo” é mais do que suficiente para se obter bons resultados terapêuticos. Dito isto, já podem antever que a minha opinião acerca do consumo de vitamina K sob a forma de suplemento não é muito abonatória, mas lá está...cada caso é um caso e há que se analisar individualmente a condição clinica da pessoa que procura ajuda.
Como todos sabemos, as vitaminas D e K são vitaminas lipossolúveis, ou seja, solúveis e…

As tâmaras e o trabalho de parto

Desde os tempos bíblicos, as tâmaras eram consideradas possuidoras de propriedades curativas profundas, mas só agora a ciência vem confirmar o que os nossos antepassados já sabiam.
Um estudo publicado no Journal of Obstetrics and Gynecology em 2011 e intitulado "O efeito do consumo das tâmaras no final da gravidez[i]", apresentou a investigação do efeito do consumo das tâmaras nos parâmetros do trabalho de parto e nos seus resultados. Ao longo de 11 meses na Jordan University of Science and Technology, dois grupos de mulheres foram incluídas num estudo prospectivo onde 69 mulheres consumiram seis tâmaras por dia durante 4 semanas antes da data prevista para o parto, contra 45 mulheres que não consumiram nenhuma. Estas mulheres tinham parâmetros semelhantes por isso não houve diferença significativa na idade gestacional, idade e paridade (o número de vezes que a mulher engravidou) entre os dois grupos.
Os resultados do estudo foram os seguintes:
• Melhoria da dilatação cervical: