Avançar para o conteúdo principal

Fitonutrientes que deves comer para prevenir e combater o Cancro

Começamos a observar uma mudança de comportamento na forma de lidar com a doença, principalmente com o cancro. É engraçado notar que apesar da medicina tradicional ter chegado a ter uma reputação um tanto ou quanto duvidosa, onde se faziam comentários grossistas, negligentes e principalmente desinformados, começa, agora, nesta era que atravessamos, a ter comprovação científica nos saberes empíricos acumulados de geração em geração.

Onde antes havia “fraude”, agora existe evidência científica e esta mudança nota-se pela tentativa de se implementar um novo modelo médico, um modelo que tem o objectivo de atacar a raiz da doença e resolvê-la de forma permanente. Modelo a que alguns chamam de "medicina funcional."

É no tratamento do cancro, que esta abordagem pertinente e racional tem sido estudada. O foco está direccionado para tornar alvo as células-tronco cancerígenas na sua raiz. Agora sabemos que as células-tronco cancerígenas são resistentes à quimioterapia e radioterapia podendo até aumentar em número e metastizar quando expostas a estas terapias convencionais. No entanto, uma nova revisão publicada no International Journal of Molecular Sciences, intitulado "Os fitoquímicos como ferramentas terapêuticas inovadoras contra as células-tronco cancerígenas(1)", avaliou as evidências científicas que davam parecer positivo aos compostos naturais dentro de vários alimentos e especiarias para servirem como tratamento atacando as células-tronco cancerígenas por segmentação.

De acordo com uma avaliação de 30 anos sobre o tema, as 10 seguintes substâncias têm demonstrado ser os agentes quimioprotectores alimentares mais eficazes contra os células-tronco cancerígenas:

- Curcumina: O polifenol primário presente na raiz do Açafrão
- Licopeno: Um carotenóide vermelho presente na melancia, toranja e tomates
- Extracto de Romã
- Epigalocatequina-3-galato (EGCG): Extracto de chá-verde
- Luteolina: Um flavonóide presente nos pimentos e em vários vegetais verdes
- Piperina: Um fitoquímico presente na pimenta preta
- Resveratrol: Um fitoquímico presente nas uvas, amendoins
- Betacaroteno: Um carotenóide cor de laranja presente em vários vegetais
- Sulforafano: Um fitoquímico sulfuroso presente nas crucíferas
- Genisteína: Um fitoquímico presente na soja e café


Os pesquisadores relataram que os fitoquímicos conseguem atacar selectivamente os células-tronco cancerígenas significando "um marco na melhoria do tratamento do cancro porque os medicamentos oncológicos sintéticos utilizados actualmente são frequentemente tóxicos para os órgãos saudáveis e enfraquecem o sistema imunitário do paciente."

Também destacaram que estes fitoquímicos, devido aos "baixos níveis de toxicidade para as células normais", podem ser associados a outros fitoquímicos, "produzindo efeitos sinérgicos poderosos."

Os autores concluíram que, "o uso de fitoquímicos pode ser uma verdadeira estratégia terapêutica para erradicar o cancro através da eliminação de células-tronco cancerígenas."


Sei bem que um diagnóstico de cancro não é fácil de lidar, principalmente pela conotação negativa que a própria palavra tem, no entanto, não nos podemos esquecer que está nas nossas mãos a responsabilidade de ajudar o nosso corpo a recuperar da doença. Compreendo que seja mais fácil colocar as decisões sobre a nossa saúde no médico deixando-o tomar as rédeas do nosso destino confiando sem questionar, mas, a saúde é tua, o corpo é teu e tu tens inteligência de sobra para tomares as tuas decisões baseadas na informação que deves exigir de quem te está a acompanhar, sejam profissionais da área que for.

Lembra-te: O corpo é o teu templo e só lá entra quem vai por bem, quem tu permitires, não deixes que te arrombem a porta e revoltem tudo sem a tua orientação. Informa-te, pondera sobre todas as soluções e depois toma a tua decisão consciente e confiante de que é a melhor decisão que podes tomar por TI.



(1): Int J Mol Sci. 2015 Jul; 16(7): 15727–15742. (http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4519921)
(2): http://www.greenmedinfo.com 

Comentários

Mensagens populares deste blogue

O que deves saber para agilizar as constipações e a tosse nos bebés.

A cada ano, centenas de bebés e crianças sofrem de constipações e tosse, principalmente devido ao seu sistema imunitário ainda imaturo.

É muito fácil identificarmos os sintomas de constipação e tosse nas nossas crianças. Começam logo a ficar com o nariz congestionado, com muita ranhoca (corrimento nasal), febre baixa, tosse, perda de apetite, irritabilidade e dificuldade em dormir. Qual a mãe, pai ou outro educador que não reconhece o desafio que é cuidar de uma criança doente? A natureza delas é de felicidade, alegria e brincadeira...de repente sentem-se mal apresentando alguma dificuldade em compreender claramente aquilo que estão a sentir, como tal, o nosso papel é orientá-las e ajuda-las a sentirem-se o melhor possível no menor espaço de tempo.

Como sou a favor da posição da American Academy of Pediatrics a qual desaconselha dar medicamentos para a tosse e constipações a crianças menores de 6 anos devido aos potenciais efeitos colaterais desses medicamentos, opto, sempre que poss…

Bolo de Cenoura [sem açúcar e sem glúten]

Andava com vontade de comer um bolo de nozes, mas não encontrava nenhuma receita que me desse água na boca, então fui para a cozinha fazer experiências com base numa diversidade imensa de receitas que fui vendo...adaptei, adaptei...e adaptei e saiu tudo menos um bolo de nozes (rsrsrsss)...mas ficou delicioso na mesma (vá lá...uffa!!)
Ora aqui vai a receita para quem quiser aventurar-se:
Vais precisar de:
- 2 chávenas de farinha de trigo sarraceno - 3 colheres de chá de fermento - 5 colheres de chá de canela em pó - 5 cenouras raladas - 1/2 chávena de coco ralado - 1/2 chávena de nozes raladas - 300g de tâmaras trituradas - 1/2 chávena de bebida vegetal (usei de arroz e soja do aldi) - 2 colheres café de baunilha

Pré-aquece o forno a 180ºC

Mistura todos os secos/sólidos e depois vai adicionando o liquido.
Bate tudo muito bem e leva ao forno cerca de 50minutos (depende de cada forno).

Eu costumo usar formas de silicone para não ter de adicionar gordura, fica a dica.

Bom apetite!!


Questionas-te se a Vitamina D é prejudicial sem a vitamina K?

Nos últimos tempos muito se tem falado sobre o possível prejuízo que a ingestão de vitamina D pode ter na ausência da vitamina K, mas as alegações científicas ainda não são muito consistentes. Como as pessoas que recorrem à minha consulta de naturopatia sabem, eu não sou muito apologista da suplementação nutricional. Existem casos em que ela é realmente necessária, existem outros casos em que recorrer a suplementação nutricional numa fase inicial pode ajudar o paciente a recuperar mais rápido, mas na maioria dos casos, recorrendo aos alimentos, ou seja, aos nossos suplementos “in vivo” é mais do que suficiente para se obter bons resultados terapêuticos. Dito isto, já podem antever que a minha opinião acerca do consumo de vitamina K sob a forma de suplemento não é muito abonatória, mas lá está...cada caso é um caso e há que se analisar individualmente a condição clinica da pessoa que procura ajuda.
Como todos sabemos, as vitaminas D e K são vitaminas lipossolúveis, ou seja, solúveis e…