Avançar para o conteúdo principal

Como reverter o envelhecimento da pele?

O envelhecimento da pele é objecto de campanhas milionárias mas o que realmente funciona?

Neste artigo vou-te falar dos efeitos benéficos de duas plantas com base em evidências científicas que são consideradas seguras e eficazes na regeneração da pele.

Extracto de Pinheiro Bravo (Pinus pinaster): O nosso corpo produz radicais livres derivados dos processos metabólicos endógenos (dentro do corpo) ou a partir de fontes exógenas. Entre os produtos antioxidantes, o picnogenol tem recebido atenção devido à sua forte actividade na eliminação dos radicais livres. O extrato de casca do Pinus pinaster contém compostos polifenólicos (taxifolina, procianidinas de vários comprimentos de cadeia formados por unidades de catequina e epicatequina e ácidos fenólicos), capazes de produzir diversos efeitos protectores contra doenças crónicas e degenerativas. Este extracto tem demonstrado benefícios cardiovasculares, tais como a actividade vaso-relaxante e a capacidade de melhorar a microcirculação, aumentando a permeabilidade capilar. Além disso, foram relatados efeitos sobre o sistema imunitário.
Um estudo de 2012, que envolveu 112 mulheres constatou que o picnogenol, presente no extracto da casca do pinheiro, é seguro e eficaz melhorando significativamente a cor da pele e reduzindo a pigmentação das manchas da idade.(1)
Neste estudo, as mulheres foram divididas em dois grupos de forma aleatória durante 12 semanas. Num grupo foi-lhes dado 100mg de extrato de casca de pinheiro por dia e no outro grupo foi dado uma dose de 40mg por dia.
Os pesquisadores constataram uma diminuição significativa na classificação clínica do estado da pele em relação ao foto envelhecimento em ambos os grupos.

Gel de Aloé Vera (Aloe vera): A Aloe vera é uma planta perene e suculenta. O gel espesso e claro encontrado na parte interior da folha é muito utilizado em pequenos cortes e queimaduras.
A planta em si tem sido usada há milhares de anos para tratar uma variedade de condições, como queimaduras, feridas, irritações da pele e obstipação. A Aloe vera já foi um dos medicamentos mais prescritos nos séculos 18 e 19 e continua a ser uma das plantas mais comummente utilizadas pela população.
Um estudo de 2009 com 30 indivíduos saudáveis do sexo feminino com idades superiores a 45 anos, receberam 2 doses orais diferentes (dose baixa: 1.200mg/dia e dose elevada: 3.600mg/dia) de suplementação com gel de aloé vera durante 90 dias.
Os resultados obtidos foram notáveis. Os pesquisadores mediram os sinais clínicos e alterações bioquímicas do envelhecimento da pele antes e após a suplementação e observaram que após a ingestão do gel de aloé, as rugas faciais melhoraram significativamente em ambos os grupos e a elasticidade facial obteve mais melhorias no grupo de baixa dosagem. Concluíram assim, que o gel de Aloé melhora significativamente as rugas e elasticidade da pele.(2)

A qualidade da pele reflete o nosso interior!

Não existe nenhum suplemento que reverta os efeitos da idade, no entanto, o objectivo do artigo é apresentar intervenções simples, como uma colher de chá de aloé vera por dia, de forma a apoiar os processos regenerativos a partir do interior do nosso corpo.



1 - Minao Furumura, Noriko Sato, Nobutaka Kusaba, Kinya Takagaki, Juichiro Nakayama. Oral administration of French maritime pine bark extract (Flavangenol(®)) improves clinical symptoms in photoaged facial skin. Clin Interv Aging. 2012 ;7:275-86. Epub 2012 Jul 27. PMID: 22956863
2 - Soyun Cho, Serah Lee, Min-Jung Lee, Dong Hun Lee, Chong-Hyun Won, Sang Min Kim, Jin Ho Chung. Dietary Aloe Vera Supplementation Improves Facial Wrinkles and Elasticity and It Increases the Type I Procollagen Gene Expression in Human Skin in vivo. Ann Dermatol. 2009 Feb;21(1):6-11. Epub 2009 Feb 28. PMID: 20548848 

3- www.greenmedinfo.com/blog/3-evidence-based-ways-reverse-skin-aging-naturally

Comentários

Mensagens populares deste blogue

O que deves saber para agilizar as constipações e a tosse nos bebés.

A cada ano, centenas de bebés e crianças sofrem de constipações e tosse, principalmente devido ao seu sistema imunitário ainda imaturo.

É muito fácil identificarmos os sintomas de constipação e tosse nas nossas crianças. Começam logo a ficar com o nariz congestionado, com muita ranhoca (corrimento nasal), febre baixa, tosse, perda de apetite, irritabilidade e dificuldade em dormir. Qual a mãe, pai ou outro educador que não reconhece o desafio que é cuidar de uma criança doente? A natureza delas é de felicidade, alegria e brincadeira...de repente sentem-se mal apresentando alguma dificuldade em compreender claramente aquilo que estão a sentir, como tal, o nosso papel é orientá-las e ajuda-las a sentirem-se o melhor possível no menor espaço de tempo.

Como sou a favor da posição da American Academy of Pediatrics a qual desaconselha dar medicamentos para a tosse e constipações a crianças menores de 6 anos devido aos potenciais efeitos colaterais desses medicamentos, opto, sempre que poss…

Bolo de Cenoura [sem açúcar e sem glúten]

Andava com vontade de comer um bolo de nozes, mas não encontrava nenhuma receita que me desse água na boca, então fui para a cozinha fazer experiências com base numa diversidade imensa de receitas que fui vendo...adaptei, adaptei...e adaptei e saiu tudo menos um bolo de nozes (rsrsrsss)...mas ficou delicioso na mesma (vá lá...uffa!!)
Ora aqui vai a receita para quem quiser aventurar-se:
Vais precisar de:
- 2 chávenas de farinha de trigo sarraceno - 3 colheres de chá de fermento - 5 colheres de chá de canela em pó - 5 cenouras raladas - 1/2 chávena de coco ralado - 1/2 chávena de nozes raladas - 300g de tâmaras trituradas - 1/2 chávena de bebida vegetal (usei de arroz e soja do aldi) - 2 colheres café de baunilha

Pré-aquece o forno a 180ºC

Mistura todos os secos/sólidos e depois vai adicionando o liquido.
Bate tudo muito bem e leva ao forno cerca de 50minutos (depende de cada forno).

Eu costumo usar formas de silicone para não ter de adicionar gordura, fica a dica.

Bom apetite!!


Questionas-te se a Vitamina D é prejudicial sem a vitamina K?

Nos últimos tempos muito se tem falado sobre o possível prejuízo que a ingestão de vitamina D pode ter na ausência da vitamina K, mas as alegações científicas ainda não são muito consistentes. Como as pessoas que recorrem à minha consulta de naturopatia sabem, eu não sou muito apologista da suplementação nutricional. Existem casos em que ela é realmente necessária, existem outros casos em que recorrer a suplementação nutricional numa fase inicial pode ajudar o paciente a recuperar mais rápido, mas na maioria dos casos, recorrendo aos alimentos, ou seja, aos nossos suplementos “in vivo” é mais do que suficiente para se obter bons resultados terapêuticos. Dito isto, já podem antever que a minha opinião acerca do consumo de vitamina K sob a forma de suplemento não é muito abonatória, mas lá está...cada caso é um caso e há que se analisar individualmente a condição clinica da pessoa que procura ajuda.
Como todos sabemos, as vitaminas D e K são vitaminas lipossolúveis, ou seja, solúveis e…