Avançar para o conteúdo principal

Refluxo Pré-natal? Vê o que podes fazer.

 pixabay

A azia ou o refluxo ácido ocorre quando o ácido do estômago retorna ao esófago. É muito comum na gravidez devido às alterações hormonais que afectam o sistema digestivo e também devido ao aumento da pressão da barriga no estômago, agravando-se à medida que a gravidez avança.

Sintomas de refluxo ácido incluem:
- Sensação de ardor/dor no peito ou garganta
- Gosto ácido na boca
- Tosse
- Rouquidão
- Náuseas

O tratamento padrão inclui antiácidos e inibidores da bomba de protões. Embora a curto prazo sejam geralmente seguros a longo prazo podem interferir com a absorção de nutrientes. Por isso, existem algumas soluções que podes testar antes de os tomares.

1. Amêndoas cruas. As amêndoas ajudam a tonificar o esfíncter esofágico inferior, mantendo o ácido do estômago no seu lugar. Come diariamente um punhado delas, mas sem sal ok?!

2. Evita certos alimentos. Alimentos picantes, tomates, refrigerantes e café são para evitar, principalmente ao jantar.

3. Evita a hortelã. Estas espécies relaxam o esfíncter esofágico inferior permitindo que o ácido do estômago volte para cima e cause estragos.

4. Althea officinalis. O seu nome latino deriva do grego altho, que significa "curar". A raíz de Althea officinalis é uma planta excelente no tratamento de refluxo pré-natal. Compra a planta a granel e faz uma decocção. Dose: 1 colher sopa da raiz para um copo de água. Deixa cozer durante 30 minutos e bebe. Podes beber 1 chávena duas vezes por dia.

5. Caminha. Faz uma caminhada ligeira após as refeições de forma a evitares o refluxo.

6. Dorme apoiada em várias almofadas. Estas destinam-se a criar um ângulo de 45 graus para que a gravidade trabalhe a teu favor.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

O que deves saber para agilizar as constipações e a tosse nos bebés.

A cada ano, centenas de bebés e crianças sofrem de constipações e tosse, principalmente devido ao seu sistema imunitário ainda imaturo.

É muito fácil identificarmos os sintomas de constipação e tosse nas nossas crianças. Começam logo a ficar com o nariz congestionado, com muita ranhoca (corrimento nasal), febre baixa, tosse, perda de apetite, irritabilidade e dificuldade em dormir. Qual a mãe, pai ou outro educador que não reconhece o desafio que é cuidar de uma criança doente? A natureza delas é de felicidade, alegria e brincadeira...de repente sentem-se mal apresentando alguma dificuldade em compreender claramente aquilo que estão a sentir, como tal, o nosso papel é orientá-las e ajuda-las a sentirem-se o melhor possível no menor espaço de tempo.

Como sou a favor da posição da American Academy of Pediatrics a qual desaconselha dar medicamentos para a tosse e constipações a crianças menores de 6 anos devido aos potenciais efeitos colaterais desses medicamentos, opto, sempre que poss…

Bolo de Cenoura [sem açúcar e sem glúten]

Andava com vontade de comer um bolo de nozes, mas não encontrava nenhuma receita que me desse água na boca, então fui para a cozinha fazer experiências com base numa diversidade imensa de receitas que fui vendo...adaptei, adaptei...e adaptei e saiu tudo menos um bolo de nozes (rsrsrsss)...mas ficou delicioso na mesma (vá lá...uffa!!)
Ora aqui vai a receita para quem quiser aventurar-se:
Vais precisar de:
- 2 chávenas de farinha de trigo sarraceno - 3 colheres de chá de fermento - 5 colheres de chá de canela em pó - 5 cenouras raladas - 1/2 chávena de coco ralado - 1/2 chávena de nozes raladas - 300g de tâmaras trituradas - 1/2 chávena de bebida vegetal (usei de arroz e soja do aldi) - 2 colheres café de baunilha

Pré-aquece o forno a 180ºC

Mistura todos os secos/sólidos e depois vai adicionando o liquido.
Bate tudo muito bem e leva ao forno cerca de 50minutos (depende de cada forno).

Eu costumo usar formas de silicone para não ter de adicionar gordura, fica a dica.

Bom apetite!!


Questionas-te se a Vitamina D é prejudicial sem a vitamina K?

Nos últimos tempos muito se tem falado sobre o possível prejuízo que a ingestão de vitamina D pode ter na ausência da vitamina K, mas as alegações científicas ainda não são muito consistentes. Como as pessoas que recorrem à minha consulta de naturopatia sabem, eu não sou muito apologista da suplementação nutricional. Existem casos em que ela é realmente necessária, existem outros casos em que recorrer a suplementação nutricional numa fase inicial pode ajudar o paciente a recuperar mais rápido, mas na maioria dos casos, recorrendo aos alimentos, ou seja, aos nossos suplementos “in vivo” é mais do que suficiente para se obter bons resultados terapêuticos. Dito isto, já podem antever que a minha opinião acerca do consumo de vitamina K sob a forma de suplemento não é muito abonatória, mas lá está...cada caso é um caso e há que se analisar individualmente a condição clinica da pessoa que procura ajuda.
Como todos sabemos, as vitaminas D e K são vitaminas lipossolúveis, ou seja, solúveis e…