Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Fevereiro, 2017

Dieta anti-inflamatória na redução da perda óssea

Sempre que reflito sobre a máquina que somos fico espantada. Possuímos a capacidade de nos recuperar quando fornecemos as ferramentas certas ao nosso organismo. Pára só 1 minuto e pensa na quantidade de funções que o teu corpo está a exercer neste exato momento...é espantoso certo?
O sistema esquelético é um exemplo maravilhoso, pois encontra-se em constante mudança, regenerando-se até pelo menos aos 30 anos de idade e caso mantenhamos bons hábitos ele manter-se-á forte por muito e muito tempo, o que infelizmente é mais a exceção do que a regra. Acredito que a “máquina humana” foi feita para que a regra seja a saúde e a doença a exceção, no entanto, os tempos que vivemos têm demonstrado o oposto, por isso, talvez seja altura de pararmos e refletirmos sobre o que andamos a fazer a nós próprios.
Quando fui para Lisboa estudar, uma das primeiras coisas que um professor nos disse foi: “a vossa missão é mostrar ao paciente que só ele e apenas ele detém controlo sobre a sua saúde ou doença…

Salada Nutritiva - s/ glúten e s/óleo

Não dispormos de tempo para almoçar não tem que significar comer de forma menos correcta e esta salada é um exemplo. Consegues prepará-la em 10 minutos. Por isso, além de ser rápida é extremamente nutritiva e sem óleo.

Há muito tempo que conhecia o conceito de uma alimentação sem óleos, mas honestamente, como as evidências eram tão controversas nunca dei grande importância. No entanto, a cada dia que passa, mais e mais estudos vão sendo publicados sobre o assunto, o que me inspirou a reduzir o consumo de óleo na minha alimentação. Mas atenção que uma alimentação pobre em óleos não significa uma alimentação pobre em gorduras saudáveis. Os benefícios que se obtém de uma azeitona por exemplo, são muito diferentes dos que se obtém do azeite e no entanto ambos contêm gordura, sendo que um é mais benéfico do que o outro.
A seu tempo escreverei mais sobre o assunto, para já fica aqui a dica desta salada simples mas divinal!!


Ingredientes:

- Alface roxa (ou outra disponível)
- 1/2 cebola pica…

Plantas úteis na prevenção do cancro

As plantas tem sido amplamente utilizadas ao longo da história como terapia para condições de saúde específicas, reduzindo a probabilidade de desenvolver determinadas doenças, incluindo o cancro. Felizmente esse conhecimento empírico tem vindo a ser confirmado pela ciência, que apoiam quase todas as alegações terapêuticas que passaram de geração em geração.
O chá verde (Camellia sinensis) é um exemplo de uma dessas plantas. É uma bebida muito popular no Japão e na China. Da planta Camellia sinensis obtemos o chá verde, o chá branco, o chá Oolong e o chá preto. A sua designação difere consoante o tipo de processamento/fermentação a que é sujeita a planta. Por exemplo, o chá verde é obtido das folhas frescas da Camellia sinensis, já o chá preto passa por um processo de oxidação.
O chá verde contém muitos compostos bioativos, ou seja, compostos que agem de forma específica no nosso corpo. Estes compostos incluem a cafeína, os polifenóis do chá e os compostos voláteis.
Os polifenóis são c…

Glúten: o GRANDE dilema

Quem acompanha o meu trabalho, tanto como naturopata como autora do livro ´Nascer e Crescer Vegetariano´ sabe que ao meu filho foi-lhe detetado sensibilidade não celíaca ao glúten após os 6 meses, idade em que começámos a introduzir alguns alimentos, nomeadamente alimentos ricos em glúten com a esperança de que o meu pequeno não fosse como a mãe (sim...eu e o tio sofremos do mesmo).
Muito rapidamente o desenvolvimento dele começou a desacelerar e o comportamento uiii, só chorava, tinha sempre a barriga inchada, andava mole, cansado e sem apetite. Como eu estava alerta levei-o logo à pediatra e após análises ele estava com anemia mas os testes à doença celíaca deram negativo. Como isso já tinha acontecido comigo, optámos por retirar o glúten da alimentação dele e passado uma semana comecei a ter o meu filho de volta, uma criança normal, com os seus choros mas nada como anteriormente. Comentei com a pediatra, insisti e ele não comeu mais glúten pois tudo indicava uma sensibilidade não …